BOLETIM449


FILTROS

Encontre mais facilmente o
Boletim 449 que deseja:


NEWSLETTER

Cadastre-se e receba e-mails com dicas e informações.

 
 



2017 | 15 de setembro
> Cereja azeda e seu grande potencial para ajudar na recuperação




 

Matéria publicada no site www.triathlete.com em 7 de Abril de 2017.

Tart Cherries Are Aiming For The Superfood Throne
by Mackenzie Lobby Havey

Aperte o SAP! ;)

As Cerejas Azedas estão visando o trono dos Superalimentos


Passando por cima do suco de beterraba e das sementes de chia, as cerejas azedas estão visando o trono dos superalimentos. As frutas estão aparecendo em tudo, desde sucos em pó até barras, porque como todos os chamados superalimentos, eles têm potencial para aumentar o desempenho e recuperação, combatendo a inflamação com uma grande quantidade de antioxidantes.

"Se você está fazendo as coisas certas com relação à dieta e ao estilo de vida e ainda sim sofre com inflamação e fadiga em seu treinamento, as cerejas azedas são uma boa opção para se tentar", diz a nutricionista Molly Kimball, certificada no centro Oschner Fitness em Nova Orleans.

Há uma quantidade satisfatória de pesquisa por trás dessa recomendação. Um dos estudos mais citados - e aquele que primeiro chamou a atenção de atletas de endurance - veio de pesquisadores britânicos em 2010. Eles reuniram 20 maratonistas amadores, em seguida, metade deles bebeu suco de cereja azeda por cinco dias antes de suas corridas, enquanto a outra metade bebeu placebo. Não só o grupo do suco da cereja tinha menos danos musculares antes e 48 horas após o evento de 42km, como também recuperou a função muscular mais rapidamente, provavelmente porque os antioxidantes reduzem a inflamação protegendo o corpo contra os radicais livres.

Um estudo mais recente publicado no Journal of International Society of Sports Nutrition em maio de 2016 mostrou efeitos semelhantes para um grupo de corredores de meia maratona. Após a ingestão de cápsulas de cereja azeda em pó antes e depois de suas corridas, marcadores inflamatórios foram reduzidos em 47% e a dor muscular percebida reduziu em 34% em comparação com um grupo de corredores que não tomaram o suplemento. O grupo da cereja também terminou o tempo de corrida 13% mais rápido em média e ficou em seu melhor ritmo de corrida previsto.

As cerejas azedas podem ajudar os ciclistas também. Pesquisas publicadas em Applied Physiology, Nutrition and Metabolism também mostraram que os ciclistas treinados que usaram a bebida de cereja da mesma forma que usam as bebidas esportivas tradicionais, se beneficiaram com recuperação acelerada, melhora da função muscular e redução da inflamação após um teste de ciclismo de 109 minutos que procurava simular as demandas de uma corrida de estrada.

É importante notar que não estamos falando de cerejas frescas que você encontra na seção de produtos de sua mercearia local ou daquelas que você pode colocar em cima de um sundae de sorvete. As cerejas azedas podem ser encontradas desidratadas, congeladas, em forma de suco ou na forma de suplemento.

Quer dar uma chance às cerejas azedas? Enquanto os atletas nos estudos do suco beberam algo em torno de 30ml a 350ml do suco de cereja azeda duas vezes por dia, Kimball recomenda começar com 180 mL duas vezes no dia para ver se traz algum resultado. Em termos do melhor momento para beber esse elixir, o ideal seria tomar 180 mL antes de um treino duro e novamente logo após, já que a literatura tem demonstrado benefícios tanto pré quanto pós-exercício.

"A pesquisa é realmente promissora, mas mais estudos com maior número de atletas precisam ser feitos", diz Kimball, antes que especialistas como ela possam conferir o status de superalimento do ano às cerejas azedas.

"Enquanto isso, se considerarmos que a maioria dos atletas vive neste estado constante de dano muscular e inflamação resultante do treinamento, tudo o que pudermos fazer para minimizar isso será benéfico, e vejo o suco de cereja azeda como uma ferramenta promissora".

Tradução feita pela Estagiária 449 Lua Leite (1º/2017)

>>>>>><<<<<<

TECLA SAP é uma Atividade de Estágio em que os estagiários traduzem uma reportagem sob a supervisão do nutricionista.

O objetivo é que os estagiários tenham contato com assuntos em inglês da área de nutrição esportiva numa linguagem direcionada ao público em geral.

Desde 2011 a 449 é Ponto de Estágio Curricular para os alunos do 8º Semestre do Curso de Nutrição da Universidade de Brasília.

-----------------

  

O intestino é um órgão chave para o bom funcionamento do nosso organismo. É nele onde ocorre a absorção dos nutrientes, há também produção de neurotransmissores e hormônios. Além disso, o trato alimentar abriga uma grande parte do sistema imunológico do corpo, gerando defesas contra bactérias, vírus, parasitas e toxinas alimentares que entramos em contato constantemente. Sem falar das nossas amigas bactérias que vivem por lá, nos ajudando e muito. Ele absorve tudo que é bom e elimina o que não nos fará bem.

Bom, isso acontece se ele estiver tudo funcionando bem. O seu está funcionando direitinho? Você dá meios para que ele consiga funcionar bem ou só dá mais trabalho para ele?

Você costuma se preocupar com ele? Comece a observar mais o seu intestino: você evacua todos os dias ou é comum ficar vários dias sem fazer? E como é a consistência das suas fezes? Sim, olhe para o seu coco antes de dar tchau. Você sente a sua barriga inchada ao longo do dia? Tem muitos gases? Sente dores abdominais?

Essas são #algumas coisas que você pode começar a observar. Procure um nutricionista para que ele te ajude nessa auto descoberta buscando a melhora desse órgão tão importante!

Nutri Izabela Cavalcante - ACOLHER NUTRIÇÃO
Atendimento na 449! :)


----------------

O que o seu coco diz sobre a sua saúde intestinal?

Para te ajudar, comece a dar uma olhadinha no vaso antes de dar descarga e identifique seu cocozinho na escala de Bristol.

 

TIPO 1: fezes ressecadas. Pode ser indício de falta de fibras e água na alimentação ou menor produção de algumas enzimas digestivas.
TIPO 2: fezes ressecadas. Pode indicar um trânsito intestinal está lento. Além de pouca ingestão de fibras e água.
TIPO 3: indica que o coco ainda está um pouco seco, mas melhorando.
TIPO 4: as fezes transitam com facilidade e não causam desconforto.
TIPO 5: o bolo fecal está se movimentando mais rápido que o natural, podendo causar desidratação e carências nutricionais.
TIPO 6: trânsito intestinal muito rápido podendo gerar prejuízos na absorção de nutrientes tanto no intestino delgado como no grosso, desequilíbrio na microbiota intestinal.
TIPO 7: pode ser resultado de uma comidinha que não caiu muito bem.

O intestino em desequilíbrio pode ser indício de distúrbios comportamentais, intolerâncias alimentares, enxaqueca, compulsão alimentar, obesidade, baixa imunidade, inflamação, má digestão entre outras causas.Por isso é importante saber como está sua saúde intestinal, pois ela pode ser indício da necessidade de cuidar de algo na sua saúde, não só intestinal.

Ter uma microbiota equilibrada assegura a absorção adequada de nutrientes e contribui para o bom funcionamento de todo o corpo inclusive no processo de emagrecimento.

Texto by Dani449

----------------

 


Voltar para a lista

Clube449


Newsletter

Cadastre-se e receba e-mails com dicas e informações.

 
 

Contatos

(61) 3363-7449
(61) 98535-7449 (whatsapp)
clinica449 (skype)
contato@clinica449.com.br

Centro Clínico Sudoeste
Sala 219 - Brasília/DF

Busca

Encontre o que você precisa em todo o nosso site.